GSC / comercial

[ sobre o projeto ]

O projeto consiste em uma grande galeria para acolher os itens de um colecionador de objetos, carros e artes, onde o próprio espaço configurasse um objeto de sua coleção. O programa contempla uma garagem para os carros, galerias de exposição para as mais diversas coleções, escritório familiar, atelier/oficina, academia e canil. Desenvolvido pelo SuperLimão em parceria com a arquiteta Gabriela Coelho, tem como partido uma arquitetura industrial, concebida em módulos de contêineres marítimos e estruturas metálicas.

Uma característica importante que difere o projeto do que estamos acostumados a ver em containers é que ele é totalmente adaptado ao nosso clima, utilizando ao máximo técnicas passivas de forma a maximizar a eficiência energética, e tirar partido do reaproveitamento de materiais, como os próprios containers.

Todos os ambientes possuem janelas em três diferentes alturas, o que permitem não só uma ventilação cruzada, mas também otimizam a convecção em dias sem vento. As paredes externas receberam tinta cerâmica, que em conjunto com o telhado verde, criam uma grande inercia térmica que mantem o ambiente interno agradável mesmo sem o uso de equipamentos de condicionamento. Eles existem porem só são ligados no auge do verão. Todas as áreas possuem iluminação natural, seja através de janelas ou claraboias.

A implantação, e partido do projeto, acomoda conexões e campos de visões em diversos níveis, uma vez que jardins intermediários conectam os 3 principais pavimentos: nível da rua, térreo e laje jardim. A disposição do térreo consiste em dez containers entrelaçados formando um eixo central. As coberturas foram reforçadas para receber jardins de forma que, olhado em planta, o projeto mimetiza o entorno e parece uma grande praça. Porém, na verdade, os conteiners, assim como lajes adjacentes, foram dispostas em diferentes níveis, e janelas permitem a visão entre essas áreas, o que hora é piso vira cobertura e vice-versa criando uma experiência espacial digna das gravuras de Escher.

A principal conexão dos containers cria um grande eixo de circulação central que foi tratado como uma galeria. Nas paredes internas foi desenvolvido um grid metálico, que pode receber painéis de madeira ou chapa expandida, criando grande flexibilidade na forma de expor as coleções.

As paredes de chapa de Aço Corten, assim como o piso original dos containers foram restaurados e deixados a vista. O atelier foi revestido com chapas de OSB que permitem a fixação de ferramentas e maquinários. O escritório e formado por quarto containers e entre eles existe uma área livre diretamente conectada com a garagem, onde é possível através de um elevador de carros expor um dos modelos trazendo a coleção para o dia dia.

A garagem é um grande vão, sustentado por apenas dois pilares o que otimiza a exposição dos carros. No centro um girador auxilia nas manobras do dia a dia, permitido um acesso fácil aos carros facilitando a utilização e manutenção.
As cortinas de concreto foram deixadas a mostra, assim como a estrutura metálica de reforço, e infraestrutura das instalações. A entrada e fechada por um portão de correr com tela perfurada e o fundo aberto e possui um talude completamente coberto de plantas, isso permite uma boa iluminação natural e ventilação, mesmo estando semienterrada.

O piso externo e totalmente permeável, e foi executado com material drenante monolítico que não utiliza juntas de dilatação. A casa possui reaproveitamento de água de chuva assim como um cisterna de grande capacidade. A caixa d’água que é um container tanque colocado na posição vertical.

O paisagismo foi criado pensando em diferentes biomas, de forma que nos níveis inferiores temos uma vegetação mais densa e tropical e na cobertura que tem grande incidência de sol, a vegetação é mais árida e adequada ao microclima.
O projeto luminotécnico, priorizou alternativas expográficas, de forma a valorizar as peças expostas e ao mesmo tempo criar grande flexibilidade.

[ about the project ]

This project consists of a large gallery that displays items from the collector’s car and art collections throughout their space. We created forms and pieces allowing the users to configure the displays to show these objects from the collection in a variety of ways. The program requires a garage for the cars, an exposition gallery to display various items from the collections, an office, a smaller workshop, a gym and a kennel. Developed by SuperLimão in partnership with the architect Gabriela Coelho, this project was conceptualized around the use of shipping containers and metallic structures.

One characteristic that differentiates our project from the usual container projects that we are used to seeing is that this particular project is totally adapted to our climate, while utilizing the maximum passive techniques of form to maximize energy efficiency and take advantage of reusable materials from the container itself.

All of the spaces have windows on three different levels. Not only do they allow for ventilation, but they also perform at an optimal level on days without wind. The exterior walls are finished in a ceramic paint and work in conjunction with the roof covered in foliage, to thermally regulate the internal environment thus reducing the use of air-conditioning equipment. The air conditioning equipment exists but is only used during the hottest parts of summer. All areas posses natural light through the windows or skylights.

The placement of the structure in the site, alongside the concept, aimed to connect users fields of vision at various levels. The building is comprised of three principal floors: street level, terrace and the roof garden. The design of the terrace consists of ten containers intertwined and connected to form the central axis. The garden was placed on the roof so when one is looking down, in aerial view, the lot would seem like a square garden, displaying the uniqueness and beauty of the space. Not noticed in plan view, however, is that the containers are placed on different levels, and the windows within the space allow users to have sightlines between the different areas.

The floors become the ceiling, and vise-versa, creating a unique experience that would be worthy of an Escher drawing. The principal connection between the containers creates a large, central circulation axis that is treated as the gallery space. The internal walls were developed using a metal grid that can hold panels of wood or metal sheet walls to create a flexible space where the collections can be displayed in a diverse array of possibilities. The stainless steel walls and floors from the containers original structure have been restored and left visible in the space. The studio space was covered with a layer of OSB board to make a sturdy support for attaching tools and machinery.

The office was formed using four containers, which is located directly above the garage space, making it possible to add a car lift in the center of the garage, allowing the collection to be displayed, and seen, by everyone in the office. The display can be changed each day or as frequently as the users wish. The garage is a large space that is structurally supported by two pillars, which optimizes the exposition of the cars. In the center is the car lift where they can change
the cars day by day or as frequently as they wish, and also creating an easy outlet to service the cars when necessary.

The concrete curtains were left visible, as they are part of the reinforcement and infrastructure for the facilities. A perforated screen and a sliding door enclose the entrance foyer, where plants cover the screen creating an element of privacy. This gives users an option to leave the door open. This area also creates an excellent source of light as well as a good ventilation point for the structure.

The exterior floor is completely permeable, and was executed through the use of a monolithic drainage material that does not require the use of expansion joints. The house is able to reuse rainwater, as it is collected in this system and stored in large cistern placed in a vertical position.

Landscaping was considered with biomass in mind, the lower levels are dense with tropical vegetation that require direct access to the sun. This type of vegetation is more arid and suitable to the microclimate of Sao Paulo. The lighting designer created a structure that would illuminate the collections, but also allow for flexibility in the space as the collections on display shift and change.

FICHA TÉCNICA data sheet

[ arquitetura ] architecture: SuperLimão Studio + Gabriela Coelho

[ equipe de projeto ] project team: Antonio Carlos Figueira de Mello, Lula Gouveia e Thiago Rodrigues, Julia Seródio, Pedro Luna, Renato Assada, Juliana Marcato

[ local ] location: São Paulo, Brazil

[ área do projeto ] area: 1800m2

[ ano ] year2017

[ paisagismo ] landscaping: Teco Paisagismo

[ Luminotécnica] lighting design: LDArti

[ Instalações ] MEP: Guimaro e Associados

[ projeto estutura ] structural engineer: Stec Engenharia

[ projeto impermeabilização ] waterproof engineer: Proasp

[ gerenciamento ] management: Fabio Carone

[ construção estrutura metálica ] metalic structure construction: Skylight

[ construtora ] general constructor: Sigla Construtora

[ fotografias ] photos: Maíra Acayaba

[ filme ] movie: FPS Filmes